As maiores populações de imigrantes na Europa são de refugiados?

Já parou para pensar como se configura a população imigrante nos países da Europa? Muitos argumentam que imigrantes vindos de países da África ou da Ásia têm tomado todo este percentual de estrangeiros, os quais se mudam para regiões do Reino Unido, França e Alemanha cada vez mais.

Sabe-se, porém, que boa parte dos imigrantes vêm dos próprios vizinhos que compõem a União Europeia. Poloneses, por exemplo, representam o maior percentual da população de estrangeiros na Noruega, ao passo que a maior parte dos imigrantes da Irlanda vêm do Reino Unido.

Foi a partir destes exemplos que o linguista, matemático e artista Jakub Marian, da República Tcheca, criou quatro mapas que retratam a migração europeia, que se divide em quatro categorias:

1. Porcentagem da população de cada país composta por estrangeiros

mapa1

A população com a maior quantidade de estrangeiros é Luxemburgo (45,9%), seguida da Suíça (29,6%), Suécia (18,5%), Áustria (17,4%) e Estônia (15,8%). Segundo Marian, alguns esperavam que após a aprovação do Brexit o número de estrangeiros no Reino Unido deslancharia, mas como é demonstrado no mapa, o país não chega nem ao “top 5”, representando apenas 13,4%.

Utilizando dados do Eurostat para analisar a quantidade de solicitações de asilo entre janeiro de 2015 e junho de 2016, o tcheco buscou os países mais afetados pela crise migratória europeia. Ele descobriu que Áustrai e Suécia foram os únicos países da Europa a registrar um crescimento de 1% no total de suas populações estrangeiras, enquanto a Alemanha registrou menos de 1%.

2. De onde vem a maioria dos imigrantes?

mapa2

A maior quantidade de imigrantes no Reino Unido em 2015 veio da Índia, já na Áustria e Suécia a maioria é alemã. Para Grécia e Macedônia, apesar da crise síria, a maior parte dos imigrantes é albanesa.

Países mais próximos do continente africano, porém, recebem a maior parte dos imigrantes dali, como França (Argélia), Espanha (Marrocos) e Portugal (Angola).

3. Como este número mudou nos últimos cinco anos

mapa3

O terceiro mapa de Marian mostra com as reviravoltas políticas dos últimos cinco anos têm afetado os números originais de imigração. As tendências do mapa 1, porém, continuam no 3.

Luxemburgo, Suíça, Suécia, Áustria e Noruega, por exemplo, que mostraram as maiores porcentagens de estrangeiros no primeiro mapa, demonstram os maiores crescimentos de populações imigrantes entre 2010 e 2015. Reino Unido e Finlândia seguem logo atrás.

4. Populações de imigrantes que mais crescem

mapa4

Comparando os dados da ONU de 2010 a 2015, Marian analisou as populações imigrantes que mais se expandem em cada país. Alguns países como Polônia e Grécia mostraram uma queda nas populações de imigrantes em relação à população total. Cerca de metade dos países europeus mantiveram os mesmos resultados do mapa 2 em 2015, como indianos no Reino Unido, britânicos na Irlanda e poloneses na Noruega.

Já outros países tiveram mudanças interessantes, como mais cubanos na Espanha (quando antes eram marroquinos), menos russos se mudando para países do Leste Europeu e um aumento de sírios na Suécia.

Fluxo de migração
Vivendo a sua maior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, a Europa tem recebido fluxos cada vez maiores de pessoas que fogem de seus países de origem em busca de segurança e de uma vida digna.

O site Lucify criou um mapa interativo que indica o fluxo de solicitantes de asilo em países europeus com o tempo, baseado em dados da ONU. Cada ponto que se move no mapa representa 25 pessoas, o que corresponde a um ônibus cheio.

Confira o mapa ativo aqui.

mapa5

mapa6