Brasileira é nomeada presidente da Comissão de Estatística das Nações Unidas

Nesta terça-feira (8), o Brasil foi, pela primeira vez em mais de 50 anos, o país escolhido para ocupar a Comissão de Estatística das Nações Unidas (órgão máximo do sistema de estatística global), substituindo o Reino Unido. A presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), Dra. Wasmália Bivar, será a representante do país, sendo a primeira mulher da América Latina a ocupar este cargo. O Brasil é, ainda, a segunda nação latino-americana a preencher a função.

Em seu discurso inaugural, a Dra. Bivar agradeceu pelo título e afirmou que a ocasião é “um divisor de águas na produção de estatísticas” e que “o que demonstramos é que o Brasil tem possivelmente um dos melhores sistemas de informação do mundo”.

A presidente do IBGE contará com a assistência dos co-presidentes do Quênia, Coreia do Sul e Reino Unido, além da Letônia como relatora, para definir nas próximas semanas o conjunto final dos indicadores dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). A comissão tem, ainda, a função de se encarregar das principais discussões estatísticas travadas nas Nações Unidas, como Censos Demográficos, Sistemas de Contas Nacionais e estatísticas sobre direitos humanos e ambientais.

A eleição do Brasil foi determinada pelos 24 países-membros da ONU, sendo anunciada durante a abertura da 47a sessão da comissão. O país terá um mandato de dois anos, sob o papel de ajudar o Conselho Econômico e Social da ONU a promover o desenvolvimento das estatísticas nacionais dos países e a melhorar a comparação internacional, além de coordenar o trabalho das agências especializadas e aconselhar os órgãos da ONU sobre questões relacionadas à coleta, análise e disseminação de informações estatísticas.

“Acredito que todos os ‘ibgeanos’ estão se sentindo bastante orgulhosos. É o trabalho do dia a dia que está sendo reconhecido. Esse reconhecimento pode até vir em forma de melhorias das nossas necessidades orçamentárias e salariais, mas é muito importante esse reconhecimento técnico. Hoje estamos felizes de fazermos parte dessa instituição tão respeitada”, declarou Bivar, que assume a presidência da comissão no ano que o IBGE completa 80 anos.