Como o sucesso pode ser atingido ‘pensando como um imigrante’

Os Estados Unidos são conhecidos como um país que recebe grandes somas de imigrantes, os quais sonham em construir uma vida melhor para si e para suas famílias.

Desde meados de 1820 (como mostrado no vídeo abaixo), cidadãos de todas as partes do mundo imigram para a terra do Tio Sam, começando desde o oeste europeu (como Reino Unido e Alemanha) até Canadá e México, no começo de 1900, e países asiáticos nas últimas décadas, como Índia e China.


200 anos de imigração nos Estados Unidos.

Os imigrantes buscam a todo custo se sustentar em um país que, muitas vezes, é completamente desconhecido, com uma cultura distinta e até de idioma diferente. Apesar destas adversidades, muitos conquistam o sucesso, como é o caso da produtora Nely Galán, antiga Presidente de Entretenimento do canal Telemundo.

Nely chegou aos EUA aos 5 anos, quando sua família, de origem cubana, imigrou para o país. Segundo ela, desde os 14 anos trabalhou para se manter na escola e para ajudar os pais.

“Uma vez, meus pais estavam acordados tarde da noite discutindo sobre pagar meus estudos. Eles estavam trabalhando em diversos empregos e eu sabia que estavam com dificuldades. Ouvi minha mãe perguntando ao meu pai como eles fariam para pagar a mensalidade da escola católica que eu estudava. ‘Jesus nos ajudará’, ele respondeu. E eu senti um nó na garganta”, conta Nely no site Motto, da Time.

Ela diz que após ouvir a conversa, sentiu que seria expulsa da escola e deveria encontrar uma solução rápido. “Dali em diante, aproveitei tudo o que aprendi ao conviver com a mentalidade de imigrante dos meus pais, um manual que levaria o meu caminho empresarial ao sucesso”.

Quatro dicas valiosas que Nely aprendeu com sua família:

1. Resolva seus próprios problemas
“Quando eu tinha 14 anos, eu lembro de estar deitada na cama pensando sobre uma senhora que vivia do outro lado da rua e vendia produtos da Avon de porta em porta. Ela ofereceu fazer uma maquiagem grátis em mim em troca de ajudá-la a vender os produtos na minha escola. Eu fui encontrá-la no outro dia e sugeri um outro trato: ao invés de uma maquiagem grátis, eu dividiria a metade dos lucros com ela.

Após alguns meses, eu tinha dinheiro suficiente para começar a pagar sozinha a mensalidade da minha escola. As freiras da escola concordaram em dizer aos meus pais que eu havia ganhado uma bolsa parcial e eu aprendi uma importante lição sobre propriedade financeira: se você tem um problema, aprenda a consertá-lo através do trabalho.”

1024x1024

Foto: Divulgação

2. Crie as suas próprias oportunidades
“Imigrantes sabem que a incerteza faz parte da vida, então ao invés de esperar “ser descoberto” ou que surja um emprego incrível eles caçam suas oportunidades e vão atrás dela com toda determinação. Depois da escola, comecei a fazer diferentes coisas para diferentes canais de TV, até que me deparei com a oportunidade de ser gerente de uma pequena estação de notícias de língua espanhola, em Nova Jérsei.

Trabalhei muitas horas e aprendi tudo o que precisava saber do cargo. Mas então fui demitida. Meu chefe disse que havia decidido vender a estação para uma agência de seguros. Eu percebi que tinha que começar meu próprio negócio e trilhar meu próprio caminho profissional”.

3. Sempre se recupere
“Quando as coisas dão errado, imigrantes encontram uma forma de se recuperar rapidamente. Após ser demitida do meu primeiro trabalho, comecei meu primeiro negócio, de onde não consegui dinheiro durante 4 anos. Ao mesmo tempo em que trabalhava longas horas para tentar construir aquele negócio, eu ainda fazia pequenos bicos para pagar minhas contas.

Quando finalmente consegui uma parceria com a FOX e construí minha presença na indústria do entretenimento, fiz o que a maioria dos imigrantes fazem: economizei, economizei e economizei mais um pouco. Construí minha carreira na indústria televisiva e até aluguei um escritório na FOX. Lá eu via celebridades passando pelo meu escritório diariamente, de Keanu Reeves a Jennifer Lopez. As contas para manter o escritório lá, porém, estavam muito altas e eu tive que procurar outro lugar.

Depois de meses procurando, encontrei um lugar que apesar de charmoso era conhecido pela atuação de gangues. Quando contei isso para uma das minhas funcionárias, ela não conseguiu entender minha decisão: ‘por que alguém deixaria o prestígio de uma locação da FOX por um fim de mundo?’. Ela não entendia a última e mais importante regra dos negócios de um imigrante…”

4. Nunca se permita cair na sedução de um negócio, ideia ou pessoa
“Nada nem ninguém irá magicamente ao seu resgate. O novo escritório era um investimento melhor para mim. Depois disso, eu juntei meus ganhos e comecei um segundo negócio investindo em imóveis comerciais, o que acabou se tornando meu negócio mais bem sucedido até então.

Aos 45 anos, eu já havia atingido o maior sonho de um imigrante: trabalhar porque quero, não porque preciso. Foi um privilégio aprender tanto com uma mentalidade de imigrante”.

Nely critica as discussões políticas sobre quem merece permanecer no país ou não. “Esquecemos como nossos próprios valores imigratórios construíram não só a base do nosso sucesso econômico como também nos mostra que qualquer um da comunidade empresarial pode encontrar seu próprio caminho para um futuro próspero”, afirma.

Depoimento de Nely foi originalmente escrito no site Motto.