Crise política no Brasil: como o mundo está vendo essa situação?

A atual crise política no país tem captado a atenção da mídia e de organizações internacionais. As manifestações, investigações, processos de impeachment, nomeação de Lula como ministro e violência entre manifestantes de opiniões contrárias renderam uma série de matérias em jornais, sites e redes de TV com análises sobre as tensões brasileiras e algumas preocupações em relação ao futuro da democracia.

Jornais como o português Público e o inglês The Economist criticam as ações do juiz Sérgio Moro, que teria “avançado até ultrapassar todos os limites”. Já o alemão Der Spiegel lembra que as pessoas que julgarão o processo de impeachment da presidente são acusados de corrupção. “O fato de que tais figuras tenham um papel chave para derrubar uma presidente que não possui nenhuma culpa anterior mina a legitimidade de todo o processo”.

Um artigo no The Economist, que sairá no fim desta semana, traz o título “Time to go” (“Hora de ir embora”, referindo-se a Dilma na presidência do Brasil) na capa da edição latino-americana. A revista afirma que “as dificuldades da presidente têm se aprofundado há meses”, lembrando que Dilma preside sobre uma economia na pior recessão desde os anos 1930, em grande parte por causa de erros que ela cometeu durante seu primeiro mandato.

160323145157_sp_economist_dilma_624x624_twitter_nocredit

The Economist opina, ainda, que Dilma “perdeu o que lhe sobrava de credibilidade” com a nomeação de Lula à Casa Civil e argumenta que não vê motivos para o impeachment e que os processos contra Dilma no Congresso “são baseados em alegações não comprovadas” das pedaladas fiscais, parecendo um pretexto para remover uma presidente impopular.

A Al Jazeera produziu um vídeo analisando o comportamento da imprensa brasileira na cobertura da crise política, lembrando que cinco famílias monopolizam grande parte da mídia nacional: Marinho (Globo), Frias (Folha), Civita (Abril), Saad (Bandeirantes) e Macedo (Record).

Organizações internacionais, por sua vez, apresentam grande preocupação com o futuro da democracia, prezando pela estabilidade e continuação das investigações da Operação Lava Jato. A Organização das Nações Unidas, por meio do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, emitiu uma nota em que pede ao Governo e aos políticos de outros partidos que cooperem plenamente com as autoridades judiciais nas investigações, evitando ações que possam ser interpretadas como uma forma de obstruir a justiça.

Confira abaixo o que o mundo tem falado sobre a política brasileira. Basta passar o mouse pelo mapa.

 

Brasil

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), através do projeto Manchetômetro, analisou o comportamento da imprensa brasileira durante o agravamento da crise política. Toda semana, o grupo produz o índice de viés da mídia, que registra as manchetes nas capas dos principais jornais do país, como Globo, Folha de São Paulo, Estadão e Jornal Nacional.

O estudo leva em conta o comportamento destes meios em relação a Dilma, o Governo Federal e o PT (sendo estes sinalizados como “situação”) e em relação aos termos Aécio, PSDB e PSB (indicados como “oposição”).

Os resultados, que podem ser conferidos no Observatório da Imprensa, mostraram que a mídia não publicou nenhuma matéria favorável à situação, indicando um viés negativo ao governo, com uma pequena parcela de neutralidade.