Delegação de jovens representará o Brasil no BRICS Youth Forum 2017

Entre os jovens selecionados para a delegação do Diplomacia Civil estão pesquisadores, empreendedores, parlamentares, jornalistas e funcionários de organismos internacionais

 

De 24 a 28 de julho acontece em Pequim, na China, a terceira edição do BRICS Youth Forum, conferência anual com o objetivo engajar jovens do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – os cinco países que compõem o grupo – em torno de questões relacionadas a governança global e cooperação internacional visando o fortalecimento do bloco. O encontro servirá como evento preliminar à Cúpula dos BRICS, que está marcada para setembro em Xiamen.

Além da hospedagem e de acesso completo aos painéis do fórum, o programa possibilitado pelo Diplomacia Civil em parceria com a All-China Youth Federation inclui uma série de visitas culturais e atividades paralelas ao evento. Ao final da conferência, será assinado um Plano de Ação que ratificará as diretrizes de implementação da cooperação entre os países reforçando o papel da juventude para o futuro do bloco.

Conheça agora quem são os membros da delegação do programa Diplomacia Civil que se prepara para ir a Pequim:

 

Ana Paula Barcellos Poppi é formada em Relações Internacionais pela ESPM-Sul. Atualmente está concluindo o MBA pela Universidade de Chung-Ang, em Seoul, Coreia do Sul e se prepara para começar um Mestrado em Globalização e Economia Chinesa na Universidade de Fudan, em Shanghai. Durante sua graduação, estudou na Coreia do Sul e na China. Atualmente é co-fundadora da BRASA (Brazilian Student Association) na Coreia do Sul, onde atua como diretora de educação, trabalhando em parceria com universidades e empresas sul-coreanas para promover o desenvolvimento de lideranças brasileiras no país. Em 2015 participou do UN4MUN na ONU, em Nova York e atualmente se prepara para a Assembleia Jovem, que ocorrerá em agosto. Seu foco atual de estudo é no New Development Bank (NDB) e no Investimento Direto Externo Chinês no Brasil.

 

Keila Cândido é formada em jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Há três anos trabalha para a agência de notícias chinesa Xinhua, em Pequim, e escreve sobre a cooperação China-Brasil-América Latina. No Brasil, trabalhou como repórter de macroeconomia, negócios e política para as revistas IstoÉ Dinheiro, Época, Época Negócios e o site da Veja, e fez estágio nas revistas Globo Rural e Autoesporte. Também foi educadora na ONG “Círculos de Leitura”, do Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial, associado à FAAP, para jovens da periferia de São Paulo. Na revista Época recebeu, junto com seus editores, os Prêmios CNH, CNI e Editora Globo na categoria jornalismo econômico. Neste ano foi admitida no mestrado em Relações Internacionais da Universidade de Pequim e Universidade de Fudan, em Xangai, para estudar as relações entre Brasil e China.

 

Lorenzo Brunelli Casagrande é mestre em Direitos Fundamentais pela Universidad Carlos III de Madrid, pós-graduado em Gestão de Sustentabilidade pela Universidade de Lisboa e graduado em Relações Internacionais pela Universidade do Vale do Itajaí. Trabalhou na Fundación Madrid Paz y Solidaridad em Madrid) e atuou por três anos como colaborador da Amnistia Internacional em Portugal, nos setores de captação de recursos e em campanhas internacionais. Trabalhou também em Guiné-Bissau junto à ONG ESSOR, como Coordenador de Apoio Institucional para organizações locais e Coordenador da área de Controle Social de Políticas Públicas. Atualmente trabalha com engajamento de juventude e sociedade civil para os ODS propostos pelas Nações Unidas, no Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável do PNUD – Centro RIO+, no Rio de Janeiro.

 

Louise Marie Hurel é pesquisadora no Núcleo de Análise de Conjuntura da Escola de Guerra Naval (NAC/EGN). Graduada em Relações Internacionais pela PUC-Rio, recebeu o prêmio Gerson Moura de melhor monografia do curso de RI de 2016, intitulada “Cybersecurity and Internet Governance: Two Competing Fields (?)”. Admitida no mestrado na London School of Economics (LSE), continuará a desenvolver pesquisa com enfoque no papel dos BRICS na governança da segurança cibernética. Sua experiência profissional inclui tutoria em programas de capacitação de jovens brasileiros em espaços de governança da Internet (Youth@FórumBR); análise de políticas de privacidade e proteção de dados no Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas (CTS/FGV); e consultoria para a UNESCO em assuntos relacionados à governança da Internet no Brasil.

 

Marco Vinholi é deputado estadual na Assembleia Legislativa de São Paulo, onde preside a Frente Parlamentar das Relações Exteriores e é membro nas Comissões de Finanças, Orçamento e Planejamento; Fiscalização e Controle; Educação e Cultura. Proprietário de duas rádios, é também empresário no ramo do agronegócio. Formado em Administração de Empresas pela PUC-SP, cursou também Comunicação Social, na Faculdade Armando Alvares Penteado (FAAP) e Gestão Empresarial, na Fundação Getúlio Vargas. Foi Coordenador Nacional de Empreendedorismo Juvenil no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Diretor do Departamento de Políticas de Trabalho e Emprego para a Juventude. Foi também diretor da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, onde conduziu o Projeto Vivaleite, programa de segurança alimentar de destaque na América Latina.

 

Mariana Yante é doutoranda em Direito Internacional Econômico pela Wuhan University/China, como bolsista do Chinese Government Council, e em Direito Internacional pela Universidade Federal de Pernambuco, onde lecionou como professora substituta e como docente da Especialização em Educação em Direitos Humanos. Atualmente, é pesquisadora do Instituto de Políticas Públicas em Direitos Humanos do MERCOSUL (IPPDH) e investigadora associada do Instituto de Estudos da Ásia. Especializada em cooperação Sul-Sul e em desenvolvimento, atuou em pesquisas do Conselho Latino-Americano de Ciências Sociais (CLACSO) e da Chinese Academy of Social Sciences (CASS). Possui pesquisas premiadas, como o PAEC-Organização dos Estados Americanos em Comunicação para o Desenvolvimento, e o Emerging Leaders for the Americas, do governo canadense. Recentemente, esteve também na Espanha como bolsista do Programa Santander- Universidad de La Rioja.

 

Pedro Vilela é advogado, formado em direito na PUC-SP. Atualmente é Deputado Federal, vice presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, e presidente do seu partido em Alagoas. É engajado em temas como esporte, lazer, justiça, cidadania, segurança social e família. Na Secretaria de Esportes e Recreação da Prefeitura de Maceió contribuiu para o projeto Lazer na Praça e Circuito Popular de Corridas de Rua. Em 2012 coordenou a campanha de eleição do atual prefeito de Maceió.

 

Victor Oliveira é bacharel em direito pela Universidade de São Paulo (USP), mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP, UNICAMP e PUC-SP) e mestre em Direito Internacional pela USP. É membro fundador do Grupo de Estudos sobre os BRICS da Universidade de São Paulo (GEBRICS/USP) e atualmente atua como advogado nas áreas de direito contratual e direito internacional. Atuou como Assistant Lecturer na Faculdade de Direito da USP em disciplinas de Direito Internacional e Direitos Humanos, bem como na PUC-SP na disciplina de Política Externa Brasileira. Também trabalhou na Divisão de Proposições Legislativas (DPL) da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP), tendo sido por duas vezes eleito deputado estadual jovem paulista.

 

Rodrigo Reis é um empreendedor social e fundador do Instituto Global Attitude, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), que promove cooperação internacional e a implementação processos transformativos no Brasil e internacionalmente. Rodrigo trabalhou para o Parlamento Jovem Europeu, Câmara de Comércio Ítalo-Tunisina e prestou consultoria para a Organização das Nações Unidas (ONU). Ele é formado em Relações Internacionais pela Universidade de Londres – Goldsmiths College, tendo participado de programas acadêmicos pela Beijing Normal University e American Istanbul University durante seus estudos. Atualmente é diretor executivo do Instituto Global Attitude e participa de conferências e discussões ao redor do mundo, debatendo educação e o papel da sociedade civil na esfera político-social.

 

Rodrigo Reis será o Chefe da Delegação do programa em Pequim e falou um pouco sobre as expectativas para o evento:

“O fórum representa um importante evento da agenda global de desenvolvimento e fortalece um bloco de países que, apesar de terem crescido a um ritmo mais reduzido nos últimos dois  anos, correspondem a mais de 40% da população e já detém mais de um quarto do PIB mundial. Por isso, são países que buscam ter uma voz mais ativa e influente no cenário internacional. E a juventude possui um papel importantíssimo nesse processo”.

Para ficar por dentro de todas notícias sobre a atuação dos jovens delegados neste fórum, acompanhe a página do Global Attitude nas mídias sociais.