Entrevista com Vagner de Araújo: delegado brasileiro para o Y20 fala sobre sua experiência fora do Brasil

Delegado Vagner Araujo faz perguntaVagner de Araújo Jesus participou da última edição do Y20, na Austrália, como membro da delegação brasileira selecionada pelo Instituto Global Atitude. Ao voltar da experiência, rebeceu uma moção de congratulação da Câmara Municipal de Ribeirão Preto por sua participação no evento, que aconteceu entre os dias 12 e 15 de Julho, em Sidney.

Aluno da de Administração da Universidade de São Paulo, Vagner nos contou nesta entrevista como a experiência como delegado foi enriquecedora pessoal e profissionalmente. “Para mim, que sou oriundo de uma família humilde do sertão baiano, poder contribuir com os rumos da política do meus país foi a realização de um sonho antigo”, diz.

Como você conheceu o programa Y20 e qual foi sua motivação ao se inscrever?   

Conheci o processo de seleção para o Y20 de uma maneira bem inesperada. A Universidade de São Paulo possui um site em que diversas oportunidades para congressos e bolsas de intercâmbio são anunciadas. Havia um tempo que eu não entrava. Certo dia, decidi entrar para dar uma olhada e vi o anúncio do Y20. Fiquei maravilhado, eu sempre me interessei imensamente por política internacional e por tentar contribuir com a modificação do cenário social e econômico do Brasil. Eu vi no programa uma chance para compartilhar com o mundo os meus anseios particulares, de um baiano, que veio a São Paulo realizar o sonho de estudar na USP, e da juventude  brasileira.

De que maneira sua experiência como delegado brasileiro contribui para sua  vida profissional?

Atualmente, o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo. As empresas  procuram profissionais que sejam capazes de exercer liderança para que os objetivos organizacionais sejam alcançados da melhor forma possível. No Y20, eu tive a  oportunidade de participar de rodadas de discussões, debates, diálogos com pessoas das mais variadas culturas e classes sociais do mundo, desde representantes do Banco Mundial de Jacarta, assessores de ministros, diplomatas, Ministro da Educação, universitários. Para empresas que desejam se globalizar cada vez mais, esse tipo de  vivência concedeu a mim diferenciais únicos. Além disso, recebi diversas propostas para atuar na área política e em comitês na USP.

Conte um pouco sobre sua experiência no Y20.

Participar do Y20 para mim, que sou oriundo de uma família humilde do sertão baiano, foi a realização de um sonho antigo, poder contribuir com os rumos da política do meus país. Nós, como delegados brasileiros, tivemos a possibilidade de construir um documento oficial, posicionando o mundo acerca dos ideais e desejos da juventude brasileira, para fazer parte da agenda oficial dos países do G20. Sem dúvidas, uma oportunidade singular. Nada disso seria possível, sem o Rodrigo e a equipe do Instituto Global Attitude. Desde o início eles se demonstraram inteiramente compromissados em realizar o processo seletivo mais idôneo e que fosse capaz de representar a juventude de nosso país. Além disso, organizaram perfeitamente todas as etapas de nossa viagem, informando com clareza quais ações deveríamos tomar. Sem dúvidas alguma, recomendo a qualquer um a participação nos processos seletivos para os fóruns mundiais conduzido pelo Instituto. Serão experiências profissionais e pessoais indeléveis para o resto da vida.

Fotos da delegação brasileira para o Y20 Australia 2014

[srizonfbalbum id=2]

 

Mais fotos podem ser encontradas na pagina do Facebook